quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Quases.

Haveria de se lembrar 9 anos depois daquela tarde de sábado, quando diante do alegre violão dele, estava vivendo uma paixão.
Não a mais importante.
Nem a menos importante.
Apenas aquela paixão do momento.
Aquela que era feita de passar à tarde junto com ele tocando as mesmas músicas, com sua voz rouca por conta do cigarro e um pouco embriagados por causa das várias cervejas.
Gostavam de quase as mesmas coisas.
Bebiam quase o mesmo tanto.
Comiam quase sempre juntos.
 Liam quase sempre na mesma frequência.
Trepavam quase sempre com vontade.

Se amaram quase que por completo.

Com tantos "quases" não se faz uma história longa.
Com tantos "quases" o amor não floresce.

Miniconto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário